Amortização: entenda como funciona o seu financiamento

Se você tem ou pretende ter um financiamento provavelmente já ouviu a palavra “amortização”. Seu significado é fácil de entender, afinal, quando se amortiza você está reduzindo o valor da dívida.

No entanto, esse funcionamento ainda não é muito bem entendido por várias pessoas. Se você tem um financiamento imobiliário ou algum outro tipo, continue lendo para entender de forma simples como funciona!

Sistemas de amortização

Antes de tudo, é preciso entender que financiamento é diferente de empréstimo. No primeiro você tem algum bem relacionado ao valor da dívida, no segundo é só o dinheiro que você pega e pode usá-lo da forma que bem entender.

Financiamentos costumam ter juros menores que empréstimos, isso porque o bem que foi financiado se torna a garantia do próprio negócio e, caso você não o pague, o bem será do banco.

Aliás, este é um ponto importante: quando você financia um bem e ainda está na fase de pagamento do seu financiamento o verdadeiro dono do bem não é você e sim o banco.

Dada a introdução, vamos ao que importa! Hoje quando se faz um financiamento existem 2 sistemas de amortização que poderá escolher. São eles: o Sistema de Amortização Constante (SAC) e o Sistema de Amortização Francês (Price).

É importante entender a forma de funcionamento destes dois sistemas para que no momento de escolher o seu, faça uma escolha adequada e consciente.

Antes de falar sobre cada um, vamos entender os principais componentes de um financiamento:

  • Principal: o valor total que você pegou emprestado do banco;
  • Valor da parcela: valor mensal que você pagará ao banco;
  • Juros: valor que você paga ao banco por emprestar o dinheiro a você;
  • Amortização: valor que você realmente abate do principal, reduzindo assim a sua dívida;
  • Taxas: valores que o banco cobra para cobrir os custos de gestão da sua dívida;
  • Seguro: valor mensal que você paga para caso ocorra algum problema com o bem financiado ou você no período do financiamento;
  • CET: é o Custo Efetivo Total do financiamento, para seu cálculo não é considerado apenas a taxa de juros, mas também os valores com taxa e seguro;
  • Saldo devedor: é quanto você ainda deve ao banco.

Sistemas de amortização

Agora que você já entendeu os componentes de um financiamento, vamos entender um pouco mais sobre cada sistema de amortização!

Sistema de Amortização Constante (SAC)

Este sistema, como o próprio nome já diz, possui amortizações constantes. Isso significa que você reduzirá sempre o mesmo valor do principal.

Por isso que o seu valor de parcela vai se reduzindo ao longo do tempo, pois a amortização é sempre igual e o juros, à medida que você vai reduzindo o principal, é menor a cada mês.

PRICE (Sistema de Amortização Francês)

Diferente do sistema SAC, o PRICE possui parcelas constantes, ou seja, você paga o mesmo valor todos os meses. Neste sistema o cliente possui a previsibilidade de quanto será a parcela por toda duração do financiamento.

Qual o melhor sistema, SAC ou PRICE?

Bom… depende! Sei que essa não é uma resposta tão legal, mas vou explicar o motivo.

O SAC vai ter uma parcela inicial mais alta, por conta da amortização constante, mas vai se reduzindo significativamente à medida que o principal diminui.

Isso pode ser interessante para quem possuí um orçamento com espaço para suportar essas primeiras parcelas mais elevadas e como vantagem, obter uma redução do principal de forma mais rápida.

Já o PRICE te dá o benefício de sempre saber quanto você tem que pagar naquele mês. No entanto, no início do financiamento a redução do principal é muito baixa e pode trazer a sensação de que você paga, paga e a dívida não diminui.

Porém, pode ser o método mais indicado para quem tem pouco espaço no orçamento para assumir parcelas iniciais mais altas.

Comparativo entre os sistemas de amortização

Suponhamos que uma pessoa está querendo comprar uma casa e para isso, foi ao banco buscar as alternativas de financiamento.

Depois de conversar com a gerente, falar quanto possuía para entrada e o valor do bem, a gerente informou que a taxa para o empréstimo seria de 8% ao ano, resultando neste dado:

E para o sistema de amortização a gerente ofereceu as duas opções, PRICE e SAC, ambos com as mesmas taxas de juros, conforme abaixo:

Observe que a primeira e a última parcela da PRICE são iguais e que a primeira da SAC é bastante superior à da PRICE. Quando vamos olhar o resumo do financiamento encontramos:

Observe que nesse caso, os juros pagos na tabela PRICE é significativamente maior, mas por que isso acontece?

No SAC, quando amortizamos sempre um valor fixo significa que é garantido sempre a redução de um valor significativo do saldo devedor.

Já na PRICE, o valor de amortização é o “último” e como os juros incidentes no início do financiamento são altos, o valor amortizado se torna baixo e, portanto, o saldo devedor se reduz mais lentamente.

Amortização para além das parcelas

É importante lembrar que a amortização de um financiamento não depende só do pagamento, você pode reduzir sua dívida a qualquer momento com amortizações programadas no seu orçamento anual.

Ao realizar amortizações extras você consegue reduzir seu saldo devedor e, consequentemente, pagará menos juros.

Por que isso acontece?

Como você pode ver na imagem abaixo, quando você realiza amortização extra o juros não vai mais incidir sobre o valor que era previsto antes da amortização e, portanto, você pagará menos juros na próxima parcela.

Quando realizamos amortizações podemos obter o benefício de redução dos juros e a redução do tempo de financiamento. Não é muito bom?

Um ponto importante é que as amortizações extras devem ser pensadas de forma estratégica dentro do orçamento para que não falte dinheiro para honrar com algum outro compromisso.

Não ter o dinheiro e, consequentemente, ter que recorrer a outros instrumentos financeiros que também incidem juros e até mais altos como cheque especial é rotativo do cartão.

Bom, espero que essa leitura o tenha ajudado a entender mais sobre como funcionam os financiamentos e como se livrar das dívidas mais rápido.

Caso você tenha algum financiamento ou está pensando na possibilidade de um e quer entender mais como organizar as suas finanças para pagar menos juros e finalizar a dívida muito mais rápido, chama a gente no Whatsapp e saiba mais sobre nossa consultoria financeira.

Além disso se quiser entender mais sobre financiamento imobiliário temos um curso na nossa Escola de finanças voltado apenas para o tema o: A casa própria como descomplicar essa decisão.

Jacqueline Ramos

Sou sonhadora e apaixonada por tudo o que me ajuda a realizar sonhos. Como economista descobri nas finanças um mundo muito vasto que pode começar com números, mas sempre diz mais sobre vidas.
Hoje sou planejadora financeira na Papo de Valor que potencializa ainda mais meu propósito de tornar pessoas reais protagonistas da sua história tornando seus sonhos em realidade.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.