Esse artigo não é sobre dinheiro (mas até que poderia ser)

05:45h – de pé no primeiro toque, sem soneca (ô glória! check)

06:30h – banho tomado (check), passeio com o cachorro (check), café quase pronto (meio check)

07:15h – ‘putz, tô atrasada, o plano era começar antes das 07h’

08h – ‘pronto, 30 páginas foram (check). Essa parte é muito legal, vou compartilhar com o pessoal no Instagram aqui’

09h – pego o celular de novo ‘droga, o plano era não pegar o celular toda hora, mas hmm legal! duas mensagens de pessoas que gostaram do livro também’. Passo o dedo no feed, vejo alguns posts e paro em mais uma foto maravilhosa do Léo no meio do mato.

Na última semana o Léo está fazendo uma série compartilhando fotos de um período recente em que ele passou em uma casinha alugada, perto de Belo Horizonte. As fotos não são muito nítidas, são um pouco escuras, e cheias de vida – de vida real, de pessoas sorrindo leve (e não aquele sorrisão que só mostra os dentes que a gente só faz quando alguém fala ‘xiis’).

O chão das fotos são de cimento queimado, sabe? As janelas e portas estão sempre bem abertas, mostrando o mato lá fora, e sempre cheias de bichos – de galinha a quati, gato e tucano. E me lembram muito a ‘casa no mato’ que meus pais tinham quando eu era criança.

‘Legal demais acompanhar a rotina de vocês por aí, Léo! Dá pra sentir o clima e é um respiro na loucura do dia!’ – tiro um tempinho (do que era para eu estar estudando mais e pensando mais e produzindo mais) e escrevo para ele.

Volto para o livro, leio mais algumas páginas, faço várias anotações, penso sobre algumas partes que fazem sentido para alguns clientes. Olho mais uma vez o celular e lá está uma mensagem do Léo :

É isso! Eu já sabia que era isso, mas às vezes a gente esquece (até por aqui, não se engane!)

Não é sobre dinheiro (ou só sobre estratégias e anotações), é sobre sonhos. Mais do que isso, é sobre tirar sonhos do papel. E no caso do Léo, é sobre passar um tempo no meio do mato se (re)abastecendo quando o mundo está só o caos.

O que me fez lembrar do porquê escolhi o planejamento financeiro como trabalho. Não tem nada mais lindo do que pensar estratégias e possibilidades para outra pessoa colocar os seus sonhos no mundo. No seu ritmo, do seu jeito, com a sua forma de ver a vida.

‘E olha só: o respiro de quem se beneficia com o meu trabalho virou meu respiro também. Acompanhar alguém realizando sonhos é realizar o meu sonho também. É um círculo vicioso, ou, como alguns preferem, virtuoso’ – fiquei refletindo.

Respirei um pouco, peguei um café novo e quente, sentei na poltrona, fiz carinho no cachorro, peguei o livro e retomei. Agora do jeito certo: no meu ritmo, do meu jeito.

É isso! (agora sim, CHECK!)

Te ajudar a entender o planejamento financeiro que funciona para você, nas suas prioridades, sonhos e escolhas de vida é o nosso trabalho. Se quiser saber mais, deixe o seu contato aqui, vamos conversar!

Larissa Brito

Planejadora Financeira na Papo de Valor, é apaixonada por gestão financeira e acredita que isso fala mais de pessoas do que de números. Com foco em autônomos e empresas, sonha com que cada negócio leve o seu máximo potencial para o mundo, trazendo retorno financeiro, é claro!

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.