4 itens que atrapalham a sua organização financeira

Quando falamos de organização financeira, não estamos falando de uma receita de bolo que todo mundo vai seguir e vai funcionar. Afinal, temos vidas, cenários, contextos, sonhos e prioridades beeem diferentes, e que consequentemente vão influenciar diretamente no planejamento financeiro.

Mas quando falamos de uma pessoa que já tem uma certa noção de organização e que está buscando otimizar um pouco mais o que já faz, existem alguns itens que acabam atrapalhando mais do que ajudam.

4 itens que mais atrapalham do que ajudam a sua organização financeira

1 – Focar em anotar tudo que gasta

Quando temos o hábito de anotar os gastos, precisamos lembrar que estamos olhando para o passado e consequentemente para o que não conseguimos mudar mais.

E esse hábito, pouco pode ajudar na hora de definir para onde você quer que o seu dinheiro vá e o que é prioridade no seu planejamento.

Se você tem uma meta de gastar R$500 com transporte e só vai anotando isso em uma planilha ou aplicativo, sem um acompanhamento ao longo do mês para te ajudar a tomar decisões e fazer escolhas, você só irá ver que ultrapassou a meta quando chegar no final do mês. E bom, aí não dá tempo de fazer nenhuma mudança.

Confesso que eu mesma cresci achando que controlar meu dinheiro era anotar o que ganhava e gastava, mas lembro bem o quão frustrante era. Chegar ao final do mês e ver que eu tinha gastado “demais” ou que estava faltando algum dinheiro que eu não fazia ideia para onde tinha ido me deixava bem desanimada.

2 – Esperar sobrar algum dinheiro

A gente sabe que você gostaria de guardar dinheiro. É comum a gente ouvir durante a consultoria financeira frases como “eu sou controlada, mas nunca sobra dinheiro na minha conta pra investir” ou “eu comecei a ganhar um pouco mais, mas não consigo poupar”.

E posso ser sincera sobre essa situação?

Se não houver um movimento para isso, nunca vai sobrar mesmo. A vida acontece e a gente quer aproveitar para realizar os desejos e vontades que vão aparecendo e mudando sempre.

Durante os encontros, costumo me usar como exemplo. Se eu deixo dinheiro na minha conta disponível, eu SEMPRE gasto além do que tinha planejado.

Sabendo disso, toda vez que tiro meu pró-labore, já faço meus investimentos, pago minhas contas e deixo na conta só o que realmente posso gastar.

Caso surja alguma despesa que precise ser paga em outra data, por exemplo, eu coloco esse valor na poupança, para deixar separado e não correr o risco de esquecer para o que é e com isso acabar gastando.

3 – Não definir uma meta para a fatura do cartão de crédito e não acompanhar sua evolução ao longo do mês

Muitas pessoas acabam usando o cartão depois que o dinheiro disponível acaba ou para compras de valores maiores. E aqui, já falamos algumas vezes sobre o cartão de crédito, que nem sempre é o vilão da história.

Quando usamos o cartão sem nenhum controle e vamos comprando parcelado cada vez mais, assumimos um gasto novo não só para o próximo mês, mas também para os outros. E sem um planejamento financeiro claro e acompanhamento desses gastos, essas parcelas e gastos feitos no cartão podem virar uma bola de neve.

Então, vale lembrar que cartão de crédito é uma forma de pagamento e que é importante definir uma estratégia para não ter surpresas no final do mês, combinado?

4 – Guardar dinheiro sem um objetivo claro e bem definido.

Para conseguir manter o hábito de poupar dinheiro, é preciso ter bem claro o que se quer realizar com esse valor que está guardando.

Esse dinheiro é para a sua reserva financeira? Para uma viagem? Para trocar de computador?

Ter clareza do motivo pelo qual se está guardando o dinheiro faz com que você evite gastar com qualquer outra coisa que não seja para o fim ao qual ele se destina.

Sem contar que saber para o que está se poupando também te ajuda a definir as características dos seus investimentos, sendo inclusive um ótimo filtro para quem quer começar a investir.

Você se identificou com algum desses itens? Compartilha com a gente aqui nos comentários!

Lueny Santos

Formada em engenharia civil, adorava os desafios diários da profissão mas não conseguia me sentir realizada. Sempre fui movida por ajudar as pessoas. A consultoria financeira me proporcionou unir a paixão por números e finanças com a missão de impactar vidas. Hoje cada cliente é um novo desafio e a vida mais feliz!

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.