Papo de Valor

Como falar sobre dinheiro com alguém que você ama

Em algum momento da vida você terá que tomar decisões financeiras junto com outra pessoa. Seu companheiro (a), colega de casa, seus filhos, seus pais. Essa conversa costuma ser difícil, parece que não temos jeito para começar o assunto. Nos falta o momento certo, as palavras, tememos parecer mesquinhos ou gananciosos.

Fomos ensinados a nunca falar sobre dinheiro. Nos disseram que era indelicado, grosseiro e culturalmente é um assunto tabu. Como não fomos ensinados a gerir as nossas finanças e tampouco tivemos acesso à educação financeira, quando nos deparamos com a situação de dividir essa tarefa com alguém é natural que gere algum desconforto.

Mas, precisamos desmitificar essa fala e trazer o assunto para perto, para o nosso dia a dia, para as nossas relações.

Por que é tão difícil?

É tão difícil falar sobre o assunto porque nunca estamos falando sobre dinheiro quando falamos de dinheiro, estamos falando sobre vida, sobre projetos, sonhos, nossos medos mais profundos, expectativas…

Mas relacionar é também definir coisas práticas. Organizar a logística das finanças, separar as contas, definir quem limpa o banheiro e quem lava a louça, planejar os sonhos, falar do que realmente importa. Ainda têm muita história depois do felizes para sempre.

Como começar?

Em um momento só dos dois comece a falar. Talvez as diferenças entre vocês serão pronunciadas, mas é importante quebrar esta barreira. Todos nós trazemos bagagem para os nossos relacionamentos, e essa bagagem geralmente aparece no meio de conversas sobre dinheiro. Coisas simples, como uma conta bancária compartilhada ou uma fatura de cartão de crédito, podem trazer problemas à tona que você não tinha ideia de que existiam. Então, isso provavelmente será difícil. Dê a si mesmo permissão para ser desajeitado no começo.

Aqui estão três pontos que podem te ajudar bastante a ter essa conversa:

  1. SEM VERGONHA, SEM CULPA

Escolhas financeiras acontecem o tempo todo. Às vezes as decisões são acertadas, outras nem tanto, faz parte. Quando erra, é natural sentir vergonha e é tentador culpar outras pessoas pelos erros cometidos. Assumir responsabilidades é o que os adultos fazem. E mesmo que a outra pessoa tiver tido péssimas decisões, remoer o passado não vai ajudar vocês a escolherem opções melhores no futuro.

Então não faz sentido envergonhar ou culpar um ao outro.

  • CONCENTRE-SE NO QUE VOCÊ PODE CONTROLAR

No mundo das finanças existem fatores que podemos controlar e outras coisas que vão além dos nossos controles. Por isso, é fundamental avaliar cada escolha, testando cenários e controlando os riscos. Talvez naquele momento faça todo sentido usar toda a reserva da família para comprar um apartamento. Mas, e se um dos dois for demitido!? Ou, por qualquer outro motivo que não podemos controlar, perder a fonte de renda do casal? Há grandes chances de desestruturar o planejamento financeiro da família. Por isso, é importante avaliar todas as hipóteses antes de tomar uma decisão.

  • ENCONTRANDO O MOMENTO CERTO

As conversas sobre dinheiro com as pessoas que amamos costumam ser difíceis porque a maioria das vezes elas acontecem quando estamos cansados, magoados ou estressados com a situação.

Se você teve um péssimo dia, talvez não seja a melhor hora para começar a falar de algo que mexe com tantas emoções.

Reserve um espaço para essa conversa quando vocês estiverem animados, curtindo a companhia um do outro, em um momento só dos dois.

Um bom momento para introduzir o assunto é começar a falar sobre os sonhos, os projetos de vida, as expectativas para o futuro.

Ter conversas significativas ajuda a entender porque o dinheiro é importante para vocês.  

O fato é, fica bem difícil realizar projetos juntos se vocês não conversam sobre dinheiro. Converse. Faça isso com seu cônjuge, com seus filhos, com seus pais. Faça isso mesmo quando for assustador, desafiador ou frustrante.

Acreditando na premissa de que existe amor entre vocês, ter uma conversa gentil e realista sobre as suas finanças irá trazer muitos benefícios. E na pior das hipóteses, o que pode acontecer é você conhecer melhor a pessoa que está ao seu lado.

Quem escreveu esse texto foi a Keylla, consultora financeira da Papo de Valor. Entre em contato clicando aqui para saber mais sobre nosso processo de consultoria.

Keylla Santos

Consultora Financeira Pessoal da Papo de Valor. Acredita que a Educação Financeira proporciona autonomia e liberdade. Por isso, ajuda as pessoas a se organizarem financeiramente de forma simples e conectadas com os seus objetivos e planos de vida.

1 comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cursos Online