Nome limpo ou reserva de emergência? Por onde começar?

Quando se toma a decisão de olhar para a própria situação financeira, um questionamento que pode vir é o de: será que começo por limpar meu nome ou a fazer uma reserva financeira?

Principalmente quando se está inadimplente, uma dos primeiros movimentos quando se decide olhar para as finanças é a de já querer traçar uma estratégia para quitar as dívidas, também conhecido como o tal do “limpar o nome”.

Porém, imprevistos podem acontecer no meio do caminho e ter uma reserva financeira pode vir a ser útil para não entrar novamente em um ciclo de dívidas.

Se você quer saber por onde começar, trouxemos um ponto interessante a se considerar.

Limpar o nome ou começar a reserva?

Quando estou fazendo o mapeamento da situação financeira de um cliente, as dívidas são sempre um ponto de atenção. Em alguns casos, o orçamento não tem muita flexibilidade e os compromissos financeiros superam a renda, resultando em inadimplência.

Insolvência, nome sujo, falta de crédito na praça, seja lá qual for o nome que você dê… a questão é: a falta de acesso ao crédito deixa a vida mais difícil.

Resolver essa situação é indispensável e a solução começa com um bom planejamento financeiro e estratégia.

Mas (pois é, sempre tem um “maaas”) não é porque a vida tá difícil que não tem por onde piorar, não é mesmo?

Quando o orçamentos é apertado, não há muito espaço para absorver o impacto de alguns imprevistos. Qualquer coisa fora do planejado pode fragilizar ainda mais a situação financeira. É aqui que a reserva financeira torna-se indispensável.

É ela que vai amparar questões mais imediatas, interrompendo aquele ciclo de:

Tem uma emergência > pega um novo empréstimo com taxas altas> não consegue pagar > fica inadimplente > tem uma emergência…

Então não tem uma escolha certa?

Responder se é melhor começar por limpar o nome ou pela reserva, não é tão simples assim. Uma solução mais moderada seria formar uma pequena reserva (três meses de despesa poderia ser um bom começo) e em seguida, fazer um planejamento financeiro para quitação das dívidas.

Dessa forma você consegue ter um direcionamento mais estratégico, evita cair naquele ciclo que comentei acima e tem mais segurança ao fazer esse movimento de organizar sua vida financeira, faz sentido?

Se sim, quero te convidar a continuar esse papo para entender como podemos te ajudar na formação da reserva e no planejamento financeiro para quitação da dívida, é só clicar aqui.

Keylla Santos

Consultora Financeira Pessoal da Papo de Valor. Acredita que a Educação Financeira proporciona autonomia e liberdade. Por isso, ajuda as pessoas a se organizarem financeiramente de forma simples e conectadas com os seus objetivos e planos de vida.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.