Papo de Valor
qual o melhor cartão para acumular milhas

Qual o melhor cartão para acumular milhas?

Eu sei que você chegou até aqui para descobrir qual o melhor cartão para acumular milhas. Ok, vamos falar sobre isso. Mas seria bastante irresponsável da minha parte abordar esse assunto sem antes falar de outro extremamente importante.

O cartão de crédito é uma ferramenta que proporciona facilidade. Ele está sempre à mão, nos ajuda a não precisar carregar dinheiro, é super prático nas compras online e quando o dinheiro falta é uma alternativa para consumir antes mesmo do salário pingar na conta. Mas a minha pergunta pra você é: até que ponto esta facilidade faz bem?

Estudos comprovam que as pessoas se dispõem a pagar mais caro por um produto quando têm a flexibilidade proporcionada pelo cartão de crédito. E isso nem sempre é bom, não é mesmo? Alguns exemplos de estudos sobre o assunto são estes:

  • PRELEC E SIMESTER, 2000: “as pessoas estão dispostas a gastar mais pelo simples fato de poderem usar o cartão de crédito ao invés do dinheiro de papel;”
  • SOMAN, 1999: “os usuários de cartão de crédito têm mais chances de subestimar ou esquecer o valor gasto em compras recentes;”
  • FEINBERG, 1986: “as gorjetas de restaurantes são maiores quando o pagamento é feito por cartão;”
  • HIRSCHMAN, 1979: “pessoas que possuem mais cartões de crédito fazem compras maiores por visita à lojas de departamento.”

E por que eu levantei esses pontos? Porque segundo estes estudos e tantos outros, a chance de você conseguir se organizar melhor financeiramente e gastar menos é maior se você decidir não usar o cartão de crédito com frequência. Afinal, quando o pagamento é mais evidente (basicamente, quando a gente vê ele acontecendo, em especial, de forma instantânea) ele costuma a doer mais. E por mais que o termo “dor” pareça ruim, neste caso é uma dor que nos ajuda a tomar melhores decisões.

E é por isso que existe uma grande chance do barato acabar saindo caro quando o assunto é acumular milhas por meio do cartão de crédito.

Dito isso, se por seus motivos particulares você ainda chegar à conclusão de que gostaria de ter um cartão de crédito e quer buscar acumular milhas através dele, então seguem algumas orientações.

1. Em primeiro lugar, como estes programas costumam funcionar?

Normalmente você tem acesso a um cartão de crédito e paga uma anuidade por ele. Essa anuidade varia muito em função dos consumos benefícios que o cartão pode te proporcionar, variando de zero até valores bastante significativos.

E ao usar este cartão, a cada dólar gasto (e aí a conta é feita no dia do fechamento da fatura, levando em consideração a cotação do dólar daquele dia) a operadora te “presenteia” com uma quantidade de milhas, normalmente varia de zero a 3,5 milhas por dólar gasto.

2. Para questionar!

O curioso é que não tão raramente eu me deparo com pessoas que se vangloriam de ter um cartão que acumula mais milhas por dólar gasto. Dito isso, acho importante levantar quais são os fatores que impactam no preço que você paga por milha acumulada, e também como eles interferem neste resultado:

Então, nada de achar que só o último item importa. Ele é um fator, mas está longe de ser o mais importante. Na planilha que está no final do texto é possível fazer simulações comparando o uso de dois cartões de crédito diferentes. Fique à vontade para explorar as suas opções e fazer uma escolha mais consciente.

E um ponto de muita atenção! Quanto maior o valor da sua fatura, mais milhas acumuladas! Perceba o perigo disso. Vale lembrar que GASTAR MAIS PARA FAZER O PROGRAMA DE MILHAS “COMPENSAR” NÃO É UMA MANEIRA DE ECONOMIZAR! Muito pelo contrário, certo?

Para ter uma vida financeira equilibrada é muito recomendável que se defina um limite de gastos no cartão coerente com a sua realidade e objetivos, e de preferência antes dos gastos do mês começar.

3. Para comparar

Com esta análise é possível descobrir o quanto você paga por cada milha acumulada, certo? Por exemplo, usando a planilha é possível fazer a seguinte conta: se eu gasto por volta de 5.000 reais por mês, pago 500 reais de anuidade, estando o dólar cotado em média à 4,19 reais e a operadora me fornecendo 2 milhas por dólar gasto, isso significa que ao longo de um ano eu vou juntar aproximadamente 28.639,62 milhas. Assim fica fácil perceber que eu teria pagado por volta de 17,50 reais a cada mil milhas acumuladas.

Entendendo que hoje mil milhas são negociadas por algo entre 25 a 45 reais,  adquirir estas milhas por este valor parecer ser um bom negócio.

Porém se a sua realidade é de gastos de 2.000 reais no cartão de crédito e todas as outras informações se mantém, você acumularia por volta de 11.400 milhas e o valor pago por cada mil pula para 43,65 reais, indicando que esse cartão provavelmente é um mal negócio pra você.

Vale ressaltar que não foram levados em consideração outros itens de consumo benefícios fornecidos pelo cartão, tais como salas VIP, seguros viagens, aceleradores de pontos, entre outros. Estas são outras considerações a serem levantadas em casos mais específicos, tendo atenção para o fato de que muitas vezes esses itens não são “economias”, e sim algo que você só usufrui (quando usufrui) porque está disponível.

Espero que eu tenha conseguido ajudar a buscar soluções melhores para a sua realidade. E caso queiram compartilhar experiências ou trazer dúvidas, é só deixar nos comentários aqui embaixo.

Baixa a planilha de comparação entre cartões aqui!

Lorena Pires

Consultora Financeira Pessoal da Papo de Valor. Acredita que por mais “exata” que seja a matemática, nem tudo são números. Atuar ajudando pessoas a se organizar financeiramente – e consequentemente colaborar para que tenham uma vida mais livre – é seu principal propósito.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique para saber mais sobre a consultoria